jusbrasil.com.br
23 de Setembro de 2019

Dissolução de sociedade

Avaliação de empresas

Jose Luciano Paulini, Administrador
Publicado por Jose Luciano Paulini
há 10 meses

  Um dos entraves na dissolução de uma sociedade, seja ela amigável ou não, por vezes até pelo desconforto de algum acidente, é conhecer o seu próprio valor.

  É comum “levantar” o valor de uma empresa apenas sobre os ativos, ou seja, os valores de máquinas, equipamentos, estoque, saldos, etc.

  Agindo desta forma obtém-se o valor real das “coisas”, não está contemplando o valor real que empresa tem no mercado, não responde totalmente à questão: “- quanto vale a empresa? ”. A diferença entre o valor dos ativos e/ou capital material e o valor que a empresa tem no mercado, é conhecido como “Aviamento”, que “...é uma expressão de valores imateriais que representa potencialidade de eficácia patrimonial e da atividade...”[1].

  O intuito deste pequeno trabalho é elencar alguns pontos, intitulados como indicadores que devem ser levados em consideração, assim estabelecendo uma conexão entre o valor dos ativos (materiais) e os ativos (imateriais).

  Indicadores Financeiros, apesar de contemplarem fatos ocorridos, são capazes de projetar uma perspectiva futura, tais como: Índice de Retorno de Capital, Lucro Líquido, Índice de Liquidez, Contas a Pagar e a Receber, etc.

  Para poder complementar o valor de um negócio, deve-se agregar os indicadores não financeiros, os que geram ou podem gerar a “mais valia” ou não para o negócio.

  Questões como crescimento do produto e/ou serviço no mercado, satisfação dos clientes, satisfação dos colaboradores, grau de tecnologia investido, etc., são alguns indicadores que podem gerar valor ou não.

  Esta visão deve ser ampliada principalmente para as sociedades de prestação de serviço, especialmente as de profissionais liberais, pois, as habilidades de um ou mais indivíduos é que geram melhores resultados financeiros, é o elemento humano agregando valor.

  Conclui-se que para responder à pergunta “- quanto vale a empresa? ”, deve ser considerado o todo, levando em consideração as partes e suas inter-relações, é a visão holística no negócio.

Adm. José Luciano Paulini

Perito Administrador Judicial TJ/SP

Especialista perícia financeira

e-mail: atendimento@aldconsultoria.com.br

https://peritoadministrador.blogspot.com.br/

www.aldconsultoria.com.br

whatsapp 19 983408192


[1] SÁ, Antônio Lopes de. Fundo de Comércio: avaliação de capital e ativo intangível/ 3ª.ed/Curitiba: Juruá, 2012

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)